Respeitar e amar uns; consumir e usar outros

Introdução ao Veganismo
Typography

Muitas pessoas acreditam que é errado causar sofrimento e morte desnecessários aos animais e demonstrações de respeito e consideração por certos animais podem ser frequentemente observadas na mídia.

Muitas pessoas acreditam que é errado causar sofrimento e morte desnecessários aos animais e demonstrações de respeito e consideração por certos animais podem ser frequentemente observadas na mídia.

Muitos se comprazem quando uma baleia encalhada numa praia é resgatada e devolvida ao mar ou quando é anunciado que um animal em extinção passará a ser protegido por lei. Também não é raro vermos pessoas que cuidam de cães e gatos como membros de suas famílias em situações cotidianas. Atitudes como essas se devem ao fato de reconhecermos que os animais são seres que sentem dor e prazer e eles próprios demonstram claramente um grande interesse em evitar o sofrimento e em continuar vivos.

No entanto, se por um lado protegemos micos-leões-dourados, araras, pandas, focas e outros animais, por outro lado expomos ao sofrimento e morte bilhões de animais que são anualmente usados para alimentação. Com o intuito de solucionar essa contradição, as pessoas estão cada vez mais se tornando veganas, isto é, estão parando de usar e consumir animais e também os seus produtos.

Atualmente encontramos muita informação sobre o veganismo na internet. O assunto tem provocado muita reflexão e inspirado pessoas no Brasil e no exterior, como é o caso do filósofo e advogado norte-americano Gary Francione que desenvolveu a teoria abolicionista dos direitos animais, tendo o veganismo como princípio fundamental.Outro exemplo é o da escritora brasileira Regina Rheda, autora do primeiro romance do mundo a ter o veganismo como tema principal intitulado "Humana Festa" e publicado pela Editora Record.